nov 27, 2012

Como Melhorar Sua Fala

Como Melhorar Sua Fala

Este é um programa para pessoas que querem falar melhor, seja porque estejam descontentes ou porque tenham tido problemas neurológicos como doença de Parkinson, Esclerose Múltipla ou Acidente Vascular Cerebral. Os exercícios podem ser utilizados em indivíduos sem lesão estrutural mas com dificuldade de articulação.

Para que você consiga tirar proveito deste informativo são necessários alguns conceitos básicos a respeito da produção vocal:

• A respiração é um fator fundamental para a fala. A produção do som ocorre com a saída do ar dos pulmões através da laringe. Ali ficam as pregas vocais que vibram produzindo o som da fala.

• Após a saída do ar através das laringe nós articulamos os fonemas para produzir a fala. Isto ocorre através da movimentação da língua, lábios, véu palatino (a parte mole do céu da boca) e mandíbula, chamados de órgãos articulatórios.

• A inspiração (entrada do ar) seguida da expiração (saída do ar) com a movimentação dos orgãos articulatórios produz a fala.

Faça um teste

Respire profundamente, abra a boca e emita o fonema /e/ , depois coloque a ponta da língua nos dentes superiores fazendo uma leve pressão, e abaixe a língua ainda emitindo o fonema /e/. Você irá perceber que emitiu a sílaba (e t c), porque o fonema /t/ é produzido com a ponta da língua tocando os dentes superiores. Da mesma forma acontece com todos os outros fonemas produzidos pelos seres humanos independente da língua que falem. A articulação acontece com a movimentação dos órgãos fonatórios em oposição à saída do ar através da laringe.

Estes conceitos são válidos sempre que queremos falar. Contudo quando há uma lesão neurológica os músculos responsáveis pelos movimentos dos órgãos fonatórios, dos músculos da respiração e das pregas vocais ficam alterados, seja por paralisia ou lentidão do movimento. Os primeiros resultados destas alterações são baixo volume de voz; sons de fala imprecisos, ritmo de fala muito lento ou muito rápido, entonação monótona, rouquidão, excesso de produção de saliva e problemas de audição.

Muitos dos músculos usados para fala são também usados para comer e engolir. Problemas nesta área são também frequentemente relatados por pessoas com doenças neurológicas. Alguns medicamentos são prescritos para tratar doenças como Parkinson, por exemplo, e que podem ser de alguma ajuda para melhorar a comunicação e deglutição. Normalmente, contudo, um programa suplementar de exercícios específicos de fala e práticas compensatórias são necessárias.

Se você quiser ler o restante deste artigo ou outros como este preparados especialmente para pessoas  leigas com interesse em assuntos de saúde pública da área mental e neurológica, clique aqui e confira o nosso livro.