nov 27, 2012

Como Melhorar Sua Fala

Como Melhorar Sua Fala

Este é um programa para pessoas que querem falar melhor, seja porque estejam descontentes ou porque tenham tido problemas neurológicos como doença de Parkinson, Esclerose Múltipla ou Acidente Vascular Cerebral. Os exercícios podem ser utilizados em indivíduos sem lesão estrutural mas com dificuldade de articulação.

Para que você consiga tirar proveito deste informativo são necessários alguns conceitos básicos a respeito da produção vocal:

• A respiração é um fator fundamental para a fala. A produção do som ocorre com a saída do ar dos pulmões através da laringe. Ali ficam as pregas vocais que vibram produzindo o som da fala.

• Após a saída do ar através das laringe nós articulamos os fonemas para produzir a fala. Isto ocorre através da movimentação da língua, lábios, véu palatino (a parte mole do céu da boca) e mandíbula, chamados de órgãos articulatórios.

• A inspiração (entrada do ar) seguida da expiração (saída do ar) com a movimentação dos orgãos articulatórios produz a fala.

Faça um teste

Respire profundamente, abra a boca e emita o fonema /e/ , depois coloque a ponta da língua nos dentes superiores fazendo uma leve pressão, e abaixe a língua ainda emitindo o fonema /e/. Você irá perceber que emitiu a sílaba (e t c), porque o fonema /t/ é produzido com a ponta da língua tocando os dentes superiores. Da mesma forma acontece com todos os outros fonemas produzidos pelos seres humanos independente da língua que falem. A articulação acontece com a movimentação dos órgãos fonatórios em oposição à saída do ar através da laringe.

Estes conceitos são válidos sempre que queremos falar. Contudo quando há uma lesão neurológica os músculos responsáveis pelos movimentos dos órgãos fonatórios, dos músculos da respiração e das pregas vocais ficam alterados, seja por paralisia ou lentidão do movimento. Os primeiros resultados destas alterações são baixo volume de voz; sons de fala imprecisos, ritmo de fala muito lento ou muito rápido, entonação monótona, rouquidão, excesso de produção de saliva e problemas de audição.

Muitos dos músculos usados para fala são também usados para comer e engolir. Problemas nesta área são também frequentemente relatados por pessoas com doenças neurológicas. Alguns medicamentos são prescritos para tratar doenças como Parkinson, por exemplo, e que podem ser de alguma ajuda para melhorar a comunicação e deglutição. Normalmente, contudo, um programa suplementar de exercícios específicos de fala e práticas compensatórias são necessárias.

Fala

-Altura da voz

O volume da voz frequentemente torna-se baixo por que o indivíduo não respira fundo o suficiente, não toma ar suficiente quando fala, ou não força a saída do ar com a fala. Antes de darmos início aos exercícios para aumentar o volume da voz propriamente dito, vamos procurar entender como é a respiração correta. Precisamos ocupar toda a nossa capacidade pulmonar para termos ar suficiente para uma fala sem desconforto. Utilizar toda a capacidade pulmonar significa utilizar os músculos responsáveis pela respiração adequadamente. Para tanto pratique o seguinte exercício, que deve ser feito num lugar confortável e silencioso: coloque um livro sob o seu diafragma na área do estômago; respire profundamente de maneira que o livro levante com a inspiração e abaixe com a expiração; repita o mesmo movimento, sentado com as mãos no lugar do livro; cada vez que for respirar para falar procure inspirar utilizando esta técnica.

-Para aumentar sua altura de voz:

• Preste atenção na postura; você é capaz de usar sua respiração mais eficientemente quando seu tronco é mantido ereto e a cabeça levantada.

• Preste atenção na respiração quando fala; a melhor fala acontece quando você silenciosamente toma o ar através do nariz e então começa a falar soltando o ar.

• Pratique tomando o ar várias vezes pelo nariz; concentre-se no movimento do seu diafragma, na área do estomago; inspire lentamente, novamente mantendo seus lábios fechados.

• Respire fundo; no momento de expirar, diga o som dos fonemas /a/ ou /e/; tente manter o som por 15 a 20 segundos.

• Diga palavras simples enquanto empurra o ar para fora dos pulmões; respire de novo para cada palavra ou frase.

• Mantenha a voz alta; não a deixe enfraquecer no fim da sentença; ao contrário, tome novo ar no meio do caminho para ter mais força de voz; você não conseguirá falar com voz forte se não tiver respirado profundamente antes de falar, lembre-se que a fala acontece com a saída de ar, e a fala alta e forte acontece com uma saída de ar também forte.

-Sons de fala precisos e claros

A fala de muitas pessoas é difícil de entender, pois os sons não são claros ou precisos. Isto pode ser devido a pessoa fazer movimentos lentos e imprecisos ou descoordenados dos lábios ou da língua.

Tente os seguintes exercícios para melhorar a clareza de sons na fala:

• Pratique exercícios de força e flexibilidade do lábio.

• Pratique exercícios de força e flexibilidade da língua.

• Antes de começar a falar, engula todo o excesso de saliva da boca.

• Diga todos os sons claramente e firme, exagere nas sílabas e não deixe qualquer sílaba ou palavra de fora.

• Comece com palavras simples, depois duas ou três frases, sentenças curtas e parágrafos.

• Tenha certeza de que os lábios se encontrem firmemente para os sons /p/ /b/ /m/.

• Tente ‘explodir’ os sons do /t/ /d/ /k/ e /g/.

• Faça pausa entre as palavras e lembre de manter seu volume até o final da frase.

• Quando estiver falando, tente usar frases curtas.

• Simplifique sua mensagem para o ouvinte.

-Ritmo de fala lento e uniforme

Algumas vezes as pessoas tendem a falar muito rápido e num ritmo desequilibrado. É muito dificil manter sons precisos de pronunciação quando a fala é muito rápida. A fala torna-se dificil de entender. Tente manter seu ritmo lento e regular. Estes exercícios podem ajudar:

• Diga frases curtas enquanto faz um ritmo uniforme com seus dedos sobre a mesa, na cadeira ou em sua perna.

• Diga uma sílaba ou uma parte de uma palavra para cada batida.

• Diga frases curtas em tempo com marcação.

• Diga uma palavra ou sílaba por batida.

• Desenhe uma fila de pontos coloridos numa folha de papel.

• Diga uma palavra ou sílaba enquanto você toca cada ponto em um ritmo lento e uniforme.

-Qualidade de voz

Algumas vezes as pessoas podem ter uma qualidade de voz rouca, abafada ou áspera. Isto é devido às pregas vocais na garganta não se encontrarem firmemente em um ritmo regular quando a voz é produzida. Tente estas sugestões para melhorar a qualidade de voz:

• Tente produzir um ´staccato´ou som agudo de sua voz quando fala.

• Mantenha altura de voz em nivel alto soltando ar do diafragma.

• Pratique os treinos enquanto faz o empuche. Pare quando diz cada palavra ou frase.

• Proteja sua voz evitando tosse excessiva, limpeza de garganta ou gritos.

• Proteja sua voz mantendo o ar de sua casa úmido. Use umidificador, se necessário.

-Variação de Entonação

A fala de muitas pessoas frequentemente tem pouca melodia ou variação de entonação. Fala monótona, ou quase constantemente na mesma nota, carece de vivacidade e brilho. Isto pode ser chato para se escutar e algumas vezes difícil de entender. Tente colocar alterações na sua fala. Pense sobre a melodia de seu discurso enquanto você fala. Lembre destes princípios de inflexão de voz:

• Quando for fazer uma declaração, comece a sentença em um tom ligeiramente mais alto para que você possa trazer sua entonação para baixo no final da frase.

• Para fazer uma pergunta que pode ser respondida por ´sim´ ou ´não´, faça no oposto. Comece mais baixo e erga o tom no final.

• Para fazer uma pergunta que necessita mais do ´sim´ ou ´não´, abaixe seu tom no final da pergunta. Enfatize palavras importantes trazendo o tom para cima quando pronunciá-las.

• Quando você ler material prático de fala, desenhe flechas para lembrar a mudança de tom. Desenhe (flecha para cima) para mudar o tom para cima, e (flecha para baixo) para baixar o tom.

• Pratique mudanças de tom quando cantar. Exagere seu alcance de tom.

• Lembre-se que a qualidade da fala e da voz podem ser melhoradas, só depende de você.

Informativo traduzido e adapatado pela fonoaudióloga Rosana Lenzi e pelo Dr. Paulo Rogério M. de Bittencourt a partir do informativo Let’s communicate, The American Parkinson Disease Association.