Adolescentes mentem, manipulam e fazem teatro de uma forma muito mais intensa e complexa do que muitos pais e avós imaginam. O objetivo deste texto é estabelecer como usar mentiras, manipulação e teatro para ensinar novas habilidades aos filhos, ao invés de simplesmente punir. Este artigo é baseado em uma publicação na revista Pediatrics que reflete a visão dos pediatras americanos no fim de 2018.

https://health.clevelandclinic.org/how-to-handle-your-childs-lying-at-every-age/

Quando adolescentes mentem, manipulam e fazem teatro ao nível de aprontar uma grande falsidade, você deve punir e deixar claro que elas nunca devem repetir aquele fato? Não, diz Kristen Eastman, doutora em psicologia. Como pai ou mãe, o jogo é de longo prazo. Use o momento para criar habilidades. Conforme a idade, sua criança pode estar mal preparada para resolver problemas ou em suas habilidades sociais. Se você pira e explode, a criança de qualquer idade pode perder a confiança ou a prática de se abrir em situações futuras difíceis.

Lá pelos 10 anos de idade é mais provável que a criança minta para se enturmar, sair de problemas ou obter o controle de uma situação que você não permitiu. Converse sobre as opções que a criança tem naquela situação. E conforme começa a adolescência, ensine as consequências de mentiras e manipulações, ainda com exemplos concretos. Eles ainda não planejam, não pensam no futuro. Não medem ou mesmo enxergam as consequências. Se seu filho mente sobre onde está, converse sobre o que pode ocorrer em uma emergência, e as razões dos limites. Discuta se suas razões são morais ou de segurança, e faça acordos. Não passe a impressão de ser rígido ou dono da verdade, que só vai levar a mais mentiras, manipulações e teatros. Esta é a oportunidade quando eles aprendem que uma mentira inocente pode economizar uma tristeza a uma pessoa querida. É quando eles podem começar a aprender a não contar toda a verdade, ser discreto com certas coisas.

Eles podem também aprender que mentiras podem estragar sua reputação. Discuta como ele ou ela quer que seus colegas os enxerguem. Se ele ou ela se sente orgulhoso quando engana ou quando é honesto e gentil. Divida suas próprias experiências e dê premios por honestidade. É comum que todos nós, crianças ainda mais, faça uma ou outra bobagem. Porém, a repetição traz consequências. Pegue uma situação e veja com a criança as consequências de mentiras, manipulações e teatros. Divida com ela sua experiência, seus erros e acertos. E dê um reforço positivo quando a criança se sai bem em alguma destas encruzilhadas da vida.

Porém, se tudo dá errado e a criança continua com o mesmo comportamento, procure seu pediatra.

Dr Paulo Bittencourt

 

Compartilhe este artigo: