Créditos de imagem: The Guardian.

Na questão do tempo de tela de celular para crianças, o problema é que os pais devem supervisionar e sugerir atividades em outras áreas da vida das crianças. Os principais médicos de crianças na Inglaterra estão instruindo pais para focar em se assegurar que as crianças tenham tempo suficiente de sono, exercício e interação familiar ao invés de se concentrar em retirar as telinhas. Os pais devem interagir e realizar outras atividades com seus filhos, e tirar o foco da tela do celular das crianças.

O Royal College of Paediatrics and Child Health joga aos pais a responsabilidade sobre o tempo de tela de celular. Esta foi a primeira orientação até hoje produzida pelo College para os pais sobre tempo de tela de celular.

Cada família deve decidir o que é melhor para seus membros, inclusive na questão do celular para crianças, porém é melhor desligar as telinhas uma hora antes da hora de dormir. O College diz que o foco deve ser no que a família está fazendo junta, e tempo de tela não é um problema se o resto da vida das crianças está sob controle. Mas o secretário da saúde inglês, Matt Hancock, pai de 3 filhos pequenos, pediu à principal médica do país, Dame Sally Davies, que proponha algumas recomendações oficiais sobre o assunto. Ele quer normas que sirvam de argumento para os pais, que decidam pelos pais, até restrições de idade em algumas redes sociais.

Mas o Prof Russell Viner, presidente do College e autor da publicação no BMJ Open journal, disse que embora exista evidência de que há relação entre tempo de tela de celular, assuntos mentais e obesidade, o foco deve ser em tipo de lanche e falta de exercício; e que não é com regras e normas, e sim com atitudes e exemplos que deve se combater o problema do celular para crianças.

É importante reconhecer que as telinhas fazem parte da vida moderna. Nunca existiram estudos sobre leitura e obesidade. 500 anos atrás se achava que ensinar mulheres a ler fazia mal. Os estudos até agora não permitem saber se o excesso de peso e doença mental são causa ou efeito do uso de celular para crianças.

O College sugere que se pergunte se o tempo de tela de celular está controlado; se as telas interferem com o que a família faz; se interferem no sono; se os lanches estão controlados durante o uso das telas. Os especialistas sugerem que cada família defina seus limites de tempo de tela de celular, inclusive por idade, e defina consequências de não respeitar os limites. O conteúdo é ainda mais importante, e deve ser fiscalizado em todos os níveis.

Dr Paulo Bittencourt CRMPR 5259 e Enfermeira Luciane Dominguez CORENPR 208900

Fonte: Sarah Boseley Fri 4 Jan 2019 https://www.theguardian.com/media/2019/jan/04/screen-time-not-intrinsically-bad-for-children-say-doctors

 

Image courtesy of The Guardian
Compartilhe este artigo: