Por que tanto chora Beto Richa? Segundo Monica Bergamo as lágrimas correram quando o casal chegou ao presídio de Pinhais, onde seriam separados. A reação foi tão forte que as coisas empacaram; o sistema todo, de policiais a desembargadores, precisou achar uma solução personalizada. No Tarumã, embora em salas separadas estilo Lula, o casal pode ter contato o tempo todo. Não se viu na TV nenhuma imagem de Beto Richa e Fernanda. Não foram ao IML, o médico do IML veio a eles ainda na sede do GAECO. Pepe Richa se juntou a eles. Não existe precedente para este tratamento a prisioneiros, mesmo os super-VIPs ali de Pinhais. Basta lembrar as algemas nos pés de Sérgio Cabral quando foi ao IML.

Mais insólita ainda é a reação de choro, jamais vista na Lava-Jato. Presos costumam demonstrar uma força humilde que lhes ajuda na defesa. Surpresa e choque com a realidade é a mais provável causa da reação incontrolável. Outra razão é manipulação infantil, a esperança de obter ganho operacional. Uma eventual preocupação com esposa, irmão, primo e amigos presos, ou com com consequências para a mãe, dona Arlete Vilela Richa, e o filho Marcello Richa, provocaria uma reação mais organizada, como a força humilde.

O choque com a realidade é um mecanismo psicológico que vai de encontro à história recente de Beto Richa. Desde que se tornou prefeito, e mais ainda depois de se tornar Governador, sempre se comportou como alguma forma de Khan, um Sultão. Não responde a comandos de comparecer a reuniões nem com o presidente do país, se desloca em seu próprio avião, e tem seus atos executados por um sem número de assessores e assistentes, inclusive a esposa Fernanda, e dezenas de soldados em todas as frentes.

Beto Richa, na verdade, é um boneco na mão de mentores, epecialmente o grupo de octagenários ligados a sua mãe e ao seu quase-marido Farid Sabagg. Eu venho apontando Salomão Soifer, Affonso Antoniuk, Heinz Herwig, Renée Dotti e a comunidade Sabagg, Abagge, Mussi e Curi, os sírios e libaneses que estão presentes em todos os compartimentos do império otomano de Beto Richa. Esta estrutura produz um ambiente quase familiar, onde a infantilidade de um avô permanece intocada.

E a manipulação lacrimal deu certo. Beto, Fernanda e Pepe estão em ambiente especial, muito provavelmente com celulares e TVs, visitados por sabe-se lá quem. Imagino que agora todos vão chorar. Cunha, Cabral, Palocci, vai ser uma choradeira.

Dr Paulo Bittencourt

Image courtesy of Venceslau Escobar
Compartilhe este artigo: