Créditos de imagem: http://gongnews.net/kwara-yellow-fever-infested-centre-disease-control/.

A sequência febre amarela, sintomas, tratamento, cura lembra um pouco a gripe A, no sentido que é uma doença viral em duas fases. A inicial é leve, pode até passar desapercebida. Vem 3-6 dias depois da picada contaminada, com febre, dores, fadiga, náusea e mal estar por 3-4 dias. Em 15% dos casos vem a fase tóxica, que dura 15 dias e tem mortalidade de 50%, com necessidade de cuidado intensivo especializado. A febre de 39-40º C passa a ser acompanhada de queda nos leucócitos e plaquetas, sangramento e dano grave em órgãos alvo, como fígado, rins e cérebro. Não foi realizada pesquisa moderna sobre a fisiopatologia e os mecanismos de doença da febre amarela. Mas parece ser um ataque direto do vírus à órgãos vitais, medula óssea e fígado. O ataque aos rins e cérebro é uma consequência.

É óbvio que as pessoas precisam ser atendidas na primeira fase para aumentar a chance de sobreviverem e  passarem a sequência febre amarela, sintomas, tratamento, cura . Já tive um caso, há 30 anos. Foi um médico aqui de Curitiba que fez a travessia da Baía de Paranaguá a pé, em uma aventura pela região do Superagui. Ficou uns 15 dias internado com um febrão de 40º que não baixava com nada. Na época não existiam infectologistas, e eu já tinha conhecimento de infecções por Herpes e pelo vírus da AIDS. O tratamento foi intensivo, de suporte. Na verdade esta foi a segunda vez que eu salvei a vida deste mesmo médico, que logo viria a me fazer muito mal em assuntos políticos e profissionais. Mas recebeu a maldição de Montezuma. A vida lhe devolveu em triplo.

Na época o diagnóstico não foi confirmado, mas o bom atendimento levou à sequência: febre amarela, sintomas, tratamento, cura.  O povo brasileiro e seus políticos também estão recebendo a vingança da natureza. Só se fala na fase grave da doença, e na tal vacina fracionada. O resultado é claro: a doença vai ficar endêmica, ou seja, vai ficar por aí muito tempo. E vai morrer muita gente. Uma pena, pois esta situação poderia ter sido evitada na virada do ano 2016 para 2017. Veja outros artigos sobre o assunto neste site. Vá em novidades ou coloque as palavras no motor de busca.

Dr Paulo Bittencourt

Vaccine. 2017 Mar 1;35(9):1216-1226. Epub 2017 Feb 3. Safety of live vaccinations on immunosuppressive therapy in patients with immune-mediated inflammatory diseases, solid organ transplantation or after bone-marrow transplantation-A systematic review of randomized trials, observational studies and case reports. Croce E et al

Euro Surveill. 2017 Mar 16; 22(11): 30488. Yellow fever in a traveller returning from Suriname to the Netherlands, March 2017 Marjan Wouthuyzen-Bakker et al.

Lancet Infect Dis. 2001 Aug;1(1):11-20. Yellow fever: an update. Monath TP.