O Marechal Ewerton Quadros tornou-se o primeiro presidente da Federação Espírita Brasileira, seguido pelo mais reconhecido Dr. Bezerra de Menezes, médico. Espalhou-se a idéia que Ewerton Quadros possuía vasto conhecimento de Astronomia, História Natural e História Universal. Com certeza deu uma grande contribuição para o Brasil nunca mais ganhar um prêmio Nobel ou ter uma mentalidade científica. A fama de sanguinário, cimentada ao eliminar a intelectualidade do sul, para em seguida publicar o que seria a verdade intelectual a partir do espiritismo, ou seja, do ouvir falar, e não a partir de pesquisa original de fontes primárias, sacramentou a força do doutor em falsas histórias, histórias não baseadas em evidências, que até hoje movimentam a maçonaria brasileira.  Verdade científica, factual, real, no Brasil não existe, e, talvez aí esteja a origem do fato.

Ainda recentemente eu tive um enfrentamento múltiplo no atendimento de uma paciente muito grave em um hospital brasileiro, e os médicos queriam porque queriam utilizar as propagandas das multinacionais que vendem certos produtos como evidência científica. Fiquei abismado ao perceber que a direção do hospital, o convênio que paga as despesas e a ANVISA, todos participam do conluio do uso destes produtos, que não tem comprovação científica. Precisei estudar, porque eram produtos fora da minha especialidade, e verifiquei que não são utilizados em países de primeiro mundo, não estão publicados no Pub Med, e obviamente, poderiam fazer mal à minha paciente, como fizeram, inclusive. Passei a entender melhor o cataclisma que se abate sobre este país. Nossa verdade é a verdade que cada um quer, e tem força sanguinária para estabelecer. Assim são muitas instituições, inclusive conselhos e sindicatos profissionais, partidos, muitas pessoas, que inventam nomes para elas mesmas, ao seu belo prazer, e, claro, inventam biografias.

Francisco Raimundo Ewerton Quadros viveu entre 1841 e 1922, os últimos 27 anos na elite do Rio de Janeiro. Passou entre 1892-95 em Curitiba durante a Revolução Federalista. Não consegui localizar registros de sua família. Também não existem registros dos antepassados de Gabriel Quadros, pai de Janio da Silva Quadros (1917-1992). Quando Gabriel foi assassinado em um crime passional em 1957, Janio, comunista, tinha 40 anos e era rompido com o pai. Gabriel era de extrema direita, havia se formado farmacêutico e depois médico, nascido logo antes da virada do século. Embora eu não tenha achado nada sobre sua origem, só pode ter sido no Rio de Janeiro, quando Ewerton lá estava. Alguns outros dados existem sobre Gabriel. Sabe-se que fez a faculdade de Medicina nos anos 1910. Quando veio ao Paraná entrou no governo de Affonso Alves de Camargo.

O livro “Cantos dos Malditos” de Austregésilo Carrano e o filme “Bicho de sete cabeças” indicam que este front de espiritismo, pelo menos da Federação Espírita do Paraná é na verdade uma maneira de apresentar uma sociedade de maçonaria, que também se sabe, era ligada a Affonso Camargo e Fernando Henrique Cardoso.

Os Quadros pertencem a um grupo familiar originado em Sevilla, Espanha, que foi para Évora em Portugal, muitos séculos atrás; raros vieram ao Brasil ou foram à India portuguesa. Pelo seu caráter instável e fácil formação universitária, seria surpreendente que Janio Quadros não fosse neto de Ewerton Quadros. Lembra a origem militar e a tendência européia e intelectual de Fernando Henrique Cardoso. A diferença parece ser a grave bipolaridade histriônica dos Quadros. Já FHC, filho de militar de alta patente, sabe-se, é do tipo sanguinário, coloca Gilmar Mendes no STF e governa como governou, direto ao ponto.

Uma análise histórica utilizando técnicas de história das idéias mostra então um conflito de mais de um século de duração entre o Paraná e o Rio de Janeiro, envolvendo de um lado uma sociedade mais benigna, européia e americana, intelectual, abolicionista, e de outro um grupo ligado a militares violentos, sanguinários, acostumados a agir sem controle por tribunal, dissimulados e histriônicos, escravocratas, racistas e classistas. A maçonaria está dividida entre os dois grupos, de maneira documentada.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre e outros artigos achados no Google em fim de setembro e início de outubro de 2017. Parte do texto foi copiado da wikipedia. Para juntar tudo foi usado bastante de cultura pessoal. A ligação familiar dos Quadros é uma hipótese.

Dr Paulo Bittencourt