Aproximadamente 10 anos atrás minha equipe e eu percebemos sinais de rejuvenescimento após os tratamentos de dose elevada de quimioterapia com ciclofosfamida. Nós já vínhamos administrando este tratamento a pacientes com doenças imunológicas, principalmente esclerose múltipla, há muitos anos, desde que eu era jovem. Uma complicação de tratamento levou a uma explosão do conhecimento neste campo, em 1997. A publicação científica em 2005 ressaltava o efeito regenerativo no sistema nervoso central do tratamento com dose alta de ciclofosfamida. Lesões de medula cervical desapareceram e a paciente, antes paraplégica, havia voltado a andar normalmente nestes 8 anos, lenta e progressivamente.

Até 2008 nós chamávamos o tratamento de Pré-transplante, pois era idêntico ao utilizado para estimular a circulação de células tronco a partir da medula óssea da própria pessoa. Nos serviços de transplante de medula óssea, o mesmo tratamento era utilizado para coletar células tronco para um auto-transplante. Em seguida neurologistas americanos publicaram que era possível utilizar uma dose maior do que a que vínhamos utilizando, com boa tolerância. Adotamos a nova dose e passamos a chamá-la de Renova. Foi nesta época que começamos a perceber, olhando os pacientes que além do sistema nervoso e o sistema imunológico, também cabelos e gengivas ficavam mais “jovens”. Depois que o nome da clínica mudou o tratamento passou a se chamar Dimpna Renova.

Desde então, precisei utilizar meu reduzido DNA gálico, como Asterix e Obelix sempre disseram: “nosso único medo é o céu cair sobre nossas cabeças”. Assim escapei de todo tipo de armadilha, até uma linda mulata, menina, prostituta, enquanto eu comprava roupas infantis em um shopping em New Orleans. Foram utilizadas sempre mulheres, muitas vezes meninas, grávidas, incapazes, e até irmãs. As financeiras e trabalhistas estão correndo, contaram com a corrupção de minhas funcionárias. Uma armadilha financeira ocorreu esta semana no Hospital Nossa Senhora das Graças. Porém, sobrevivemos, meus pacientes, meus filhos e eu; chegamos agora a um total de 109 procedimentos de alta dose, desde que se tornaram rotina em 2005. Na verdade 110 contando com o caso pioneiro de 1997. As pulsoterapias são incontáveis, ocorrem quase todo dia.

Estes fenômenos eram uma novidade total para mim e, pelo que eu podia entender, para toda a Medicina. Com o conhecimento adquirido e colocado nos livros Sklera and Chimera e Pseudoquimera e autoimunidade, (amazon.com e amazon.com.br), percebi que mesmo os pacientes que fazem pulsoterapia de longo prazo com ciclofosfamida também tem esta forma de benefício regenerativo de certos órgãos, ainda não explorado ou desenvolvido. O rejuvenescimento, ou o efeito regenerativo, não é um fenômeno simples que dê para colocar à venda em um shopping, inclusive porque é uma quimioterapia antiga. Basta consultar com o meu nome no PubMed e no Scielo. O segundo problema é o pouco lucro associado, a droga está no mercado há mais de 50 anos. Os tratamentos são baratos. O único efeito colateral importante é esterilidade feminina precoce. O hormônio pode ser reposto, mas a capacidade de procriar depende de guardar óvulos. Já podemos afirmar que não ocorre esterilidade masculina, pelo menos via de regra.

Um problema anteriormente alegado é que poderia ocorrer envelhecimento precoce, desenvolvimento de cancer e deterioração dos telômeros. Isto é bobagem. Intriga da oposição. Também não existe efeito tóxico cardíaco. Um cardiologista retardou o início deste tratamento de 2003 para 2005 devido a esta falsa alegação. O efeito cardiotóxico é de outras quimioterapias. O mais bonito, que deixa a oposição totalmente delirante, é que não se injeta nada no paciente a não ser a ciclofosfamida, um remédio que existe há 50 anos, portanto não é experimental. Outros medicamentos de apoio utilizados também são rotineiros e antigos. A medula óssea do paciente faz o resto. Ocorre rejuvenescimento suficiente para “curar” muitas doenças imunológicas, para reverter dano renal terminal, lesões de pele e subcutâneo em dermatomiosite, e cabelos e pelos de muitos pacientes, assim como gengivas.  O efeito no coração de tratamentos semelhantes pode ser milagroso, conforme observações internacionais e mesmo brasileiras, experimentais. Com certeza não é uma panaceia de shopping, mas deveria ser estudado com mais calma.

O mais espantoso, que apareceu na mídia internacional e nós percebemos, é que a imunidade das pessoas melhora. Uma consequência de regeneração do sistema imunológico dentro e fora da medula óssea. Portadores de esclerose múltipla quase não tem mais infecção urinária. Alguns casos de AIDS tiveram “cura” após um transplante de células tronco ser realizado para uma doença hematológica concomitante. Nós temos um caso de “cura” de hepatite C. Estas observações, relacionadas com o rejuvenescimento do sistema imunológico, são ainda preliminares, porém definitivas. Mais uma vez recomendo que seja lido meu livro Pseudoquimera e autoimunidade, disponível na amazon.com.br, ou o orginal Sklera and chimera na amazon.com, antes de tomar ao pé da letra o que está escrito neste breve e popular artigo de mídia aberta, inclusive as definições de cura.

CP Schröder1, GBA Wisman2, S de Jong3, WTA van der Graaf1, MHJ Ruiters3, NH Mulder1, LFMH de Leij3, AGJ van der Zee2 and EGE de Vries1
Departments of Medical Oncology1, Gynecologic Oncology2, Pathology and Laboratory Medicine3, University Hospital Groningen, The Netherlands Telomere length in breast cancer patients before and after chemotherapy with or without stem cell transplantation. British Journal of Cancer (2001) 84(10), 1348–1353 © 2001 Cancer Research Campaign
doi: 10.1054/ bjoc.2001.1803, available online at http://www.idealibrary.com on

Dr Paulo Bittencourt