Créditos de imagem: Greg Dunn.

A Dimpna oferece vários tratamentos que no fundo são relacionados com células tronco autólogas da medula óssea. Por uma coincidência involuntária que em ciência se chama serendipidade, a Dimpna é talvez pioneira mundial, e certamente nacional neste assunto; tem experiência na realização de mais de 100 procedimentos de mobilização de células tronco hematológicas autólogas, ou seja do sangue da própria pessoa, no tratamento de doenças imunológicas e inflamatórias.

O efeito pode ser muito positivo e mudar a história natural da doenças imunológicas. O primeiro caso de esclerose múltipla completou 20 anos de seguimento na Páscoa de 2017, e foi publicado na Acta Neurologica Scandinavica em 2005. O tratamento consiste em uma dose elevada da mesma quimioterapia utilizada rotineiramente em pulsoterapias das mesmas doenças. A história e a ciência destes tratamentos estão nos livros Sklera and Chimera e Pseudoquimera, ebooks da amazon.com e da amazon.com.br

O nome de fantasia pré-transplante de células tronco é usado entre nós porque o procedimento é o mesmo usado para conseguir as células tronco em transplantes de células tronco autólogas, ou em transplantes autólogos de medula. A mudança de se obter as células do osso ilíaco para o sangue ocorreu exatamente nestes 20 anos, quando nós, e grande parte da Medicina, tivemos que aprender tanto sobre este assunto. Por exemplo, observamos que a melhora nas doenças imunológicas é uma consequência de um rejuvenescimento da medula óssea, que passa a produzir células mais jovens, que pelo menos durante um tempo não atacam o corpo da pessoa e não produzem a doença imunológica.  

O aspecto mais fascinante deste campo é a possibilidade que tanto as pessoas que fazem pulsoterapias de longo prazo, quanto as que fazem os pré-transplantes, como as que fazem os transplantes de baixa intensidade, todos possam se beneficiar de um efeito regenerativo em vários tecidos do corpo, como é observado de maneira óbvia nos cabelos. Nós temos muitos casos de efeito positivo nos cabelos. O efeito no sistema imunológico já levou a alguns casos relatados na literatura internacional de cura de AIDS, e nós temos um caso de remissão parcial de muito longo prazo de hepatite C.

Em universidades americanas existem departamentos enormes dedicados a este assunto, da Medicina Regenerativa, baseada em células tronco de vários tipos. Nós não fazemos pesquisa. Só utilizamos medicamentos já em uso no território nacional.

Dr Paulo Bittencourt